Blog

calendario header
17
jun
2022

O papel da família no desenvolvimento de crianças autistas
Publicado em 17 de junho / 2022

O chamado Transtorno do Espectro Autista (TEA) caracteriza-se por um distúrbio global do desenvolvimento com alterações na comunicação, socialização e cognição. 

Hoje, de acordo com os dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), a cada 50 crianças, uma possui TEA. No entanto, esses números não abrangem as pessoas envolvidas na vida de uma pessoa com autismo, como a mãe, o pai e o irmão.

O autismo envolve a todos, não só a pessoa que tem o diagnóstico, sendo que a família e os responsáveis são de extrema importância para o desenvolvimento das crianças autistas. Confira mais sobre o assunto abaixo.

Aceitação é fundamental

Mesmo que a criança autista tenha diferenças singulares das outras crianças, esse não deve ser o foco dos pais. O mais indicado a fazer é apreciar as peculiaridades do seu filho, celebrando pequenos sucessos e evitando compará-lo com os outros.

Reforce comportamentos para o aprendizado

Crianças autistas têm dificuldade em aplicar o que aprenderam em um ambiente como na escola ou na terapia ABA. Por isso, reforçar os comportamentos indicados na terapia em casa, criando uma consistência, ajuda a aprimorar o aprendizado do pequeno.

Siga a rotina

A rotina é uma parte importante do desenvolvimento das crianças com TEA. Estabeleça horários para as atividades do dia a dia como refeições, terapia, escola e hora de dormir, tentando reduzir ao mínimo as interrupções no seu cotidiano.

Recompense o bom comportamento

Uma prática positiva para o desenvolvimento de crianças autista é a do reforço positivo. Elogie a criança e ofereça outras recompensas quando ela agir adequadamente ou aprender uma nova habilidade. 

Invista em um tratamento multidisciplinar

As crianças com TEA precisam ser acompanhadas por diferentes especialistas que vão ajudar no seu desenvolvimento. Os pais e familiares precisam acompanhá-los nas consultas e ter tempo para continuar as técnicas em casa. Normalmente, os pequenos com autismo podem precisar de terapia comportamental, fonoaudiologia, fisioterapia, terapia ocupacional, acompanhamento nutricional entre outras abordagens.

Gostou do nosso artigo? Compartilhe com outros pais para que saibam sobre o seu papel no desenvolvimento de filhos com autismo.

compartilhar compartilhar compartilhar compartilhar

Comentários

Comentar




* Campos obrigatórios